Sexo Anal? Vamos a isso ...

17/04/2019
por

“Vai com jeitinho” – pedi-te assim que senti o primeiro toque da tua língua no meu rabo. De mãos quentes nas minhas nádegas abrias suavemente caminho para o meu ânus. As barreiras tinham-se finalmente quebrado e os anos de negação a este tipo de sexo e prazer tinham finalmente chegado ao fim. Os primeiros toques da tua língua suaves e circulares, fizeram-me sorrir e aceitar. Percebi logo que iria ser bom e excitante. Após um prévio duche anal, um copo de vinho e morangos tudo se tornou mais simples e os beijos demorados e as carícias mais íntimas deixaram-nos num alto nível de excitação.

De cara na almofada e rabo bem empinado comecei a gemer com tesão assim que começaste a beijar e explorar todos os nervos sensíveis daquela zona. Dizem que se chama beijo grego, não sei, só sei que afinal superou todas as minhas expectativas. A tua saliva quente deu lugar ao lubrificante fresco que iria ajudar no passo seguinte. Segredaste-me ao ouvido entre beijos e pequenas mordidas “vou enfiar um dedo, de-va-ga-ri-nho”. Sentia-me mais do que segura e excitada. Aceitei sem quaisquer receios e afastei todas as ideias pré-concebidas e negativas que teimavam em surgir. “E se doer? E se sangrar? E se... Que se fodam estas ideias retrógradas e infantis. Isto é tão bom!”

As sensações que passei a sentir levaram-me a um novo nível neste jogo a dois. O efeito, o prazer não se limitava àquela zona. Arrepios de luxúria percorreram o meu corpo e eu queria mais. De um dedo, passaste a dois e eu já não me controlava nos gemidos. Percebias assim o efeito positivo dos teus atos, através dos meus gemidos, das minhas movimentações e algumas palavras que saíam inesperadas. “Mete mais, fode-me o cu...” Enfim, deixei-me levar pelo enorme prazer que estava a sentir.

Simulaste mais um pouco uma penetração suave e cadente ao mesmo tempo que me beijavas as costas e as nádegas. Abrias caminho para o brinquedo que compráramos de propósito para este momento. O metal frio do pequeno plug fez-me sorrir. Entrou com facilidade e senti-me preenchida e feliz. Olhei para ti por cima do ombro e observavas com prazer a minha posição. Estavas com o pau duro, tocavas-lhe levemente. Mordi o lábio inferior quando sussurraste: “O teu cu fica lindo assim”. As minhas gargalhadas ecoaram no quarto e pedi para me tirares uma foto.

Se eu já estava excitada ainda mais fiquei. Na foto vislumbrei uma mulher sensual e bonita. O brilhante do plug assemelhava-se ao brilho dos meus olhos que olhavam para a câmara com ar sedutor e esfomeado. Coloquei o telemóvel de lado e agarrei-me a ti... Empurrei-te para a cama e deitado de costas com olhar incrédulo deixaste que eu tomasse as rédeas daquela foda. Sentei-me e deixei-me escorregar no teu pau. A minha cona estava húmida e quente e mais apertada que nunca. Fechaste os olhos e gemeste assim que comecei a movimentar-me. Devagarinho. As sensações estavam ao rubro e o crescendo na minha excitação levou-me a um orgasmo fácil e esperado.

Deitei-me de costas na cama, ainda a tremer e a absorver o prazer sentido, elevei e abri as pernas, retirei o plug e pedi, excitada e com voz rouca “Fode-me o cu!” De joelhos à minha frente não te fizeste rogado e obedeceste. De preservativo colocado e mais algum lubrificante , conquistaste aos poucos o teu lugar dentro de mim. Com ele todo lá dentro perguntas-me se dói. Respondo que não. E sorrio. Debruças-te sobre mim, dás-me um beijo carinhoso e inicias as primeiras estocadas. Primeiro devagar e olhos nos olhos. Mas aos poucos aumentas a cadência dos movimentos. E eu pergunto-me se será tão bom para ti como é para mim. Agarro-te nas costas, cravo-te as unhas na pele. Percebes que estou a adorar, pelas palavras porcas que te sussurro aos ouvidos. Percebo que estás a adorar pelo teu olhar insaciável, pelas paragens estratégicas que fazes para não te vires e pelas gotas de suor que escorrem da testa.

O orgasmo acabou por chegar. Fodes-me o cu com uma velocidade vertiginosa, provocando também a mim um orgasmo brutal onde clitóris e anús se uniram num grito de prazer e todos os poros do meu corpo sentiram o tremor, a descarga e o prazer. Humm, pareço outra mulher, sinto-me diferente!

“Que tola que fui em não ter experimentado antes”. Adormecemos agarrados um ao outro e sonhei que desfilava à tua frente toda nua com um plug cauda de raposa...


Subscreva a nossa newsletter e fique a par das histórias mais quentes!

 
 

Prepare caminho para o prazer ...


Duche Íntimo Buttr 

  

Lubrificantes Anais

Plug Anal Metálico com Cristal


Plug com Cauda de Raposa e cristal



Comentários

Hmmm.. Que prazer. É como subir ao quinto andar de elevador e depois ainda subir mais um andar pelas escadas. Entrar na porta e sentir toda a humidade inerente às zonas íntimas. Ao ler a história só dá vontade... Muito bom!

Bom

Só quem nunca experimentou este prazer, pode criticar. Bom texto, faz sentir calor.
Adicionar comentário