Jantar Romântico

08/02/2019
por

A sala da nossa casa estava iluminada apenas pela luz de imensas velas, a lareira estava acesa, ouvia-se música romântica. Era noite de São Valentim e eu tinha preparado um jantar especial para nós. Entraste sorridente e eu coloquei os braços em redor do teu pescoço e senti as tuas mãos na minha cintura. Os teus lábios assanhados e dengosos provaram os meus; a tua língua procurou a minha e os nossos sabores cruzaram-se. Os teus lábios desceram pela curva do meu pescoço tal como as tuas mãos percorreram sorrateiramente as curvas acentuadas do meu rabo. Eu vestia um sensual vestido preto, justinho e provocador. O romantismo da noite de São Valentim rimava com erotismo e era sinónimo de sexo!

Afastei-me de ti e pedi para te sentares no sofá. “Tenho um presente para ti! Feliz Dia dos Namorados!” Entreguei-te um saquinho de veludo vermelho contendo um controlo remoto. Retiraste-o do saco, observaste-o com ar curioso e após alguns segundos percebeste do que se poderia tratar. “Onde está o resto do brinquedo?” - perguntaste sorrindo para mim com ar de miúdo que quer brincar com o brinquedo que acabou de receber. Sentei-me a teu lado, com o vestido provocadoramente subido e justo, revelando  as ligas e a renda das sensuais meias, encostei-me a ti e sussurrei ao teu ouvido “Ele já está bem dentro de mim…É um ovo e estou à espera que o testes!” Não te fizeste rogado, levantaste-te de comando da mão, afastaste-te um pouco e ligaste-o. Fechei os olhos, inspirei profundamente, recostei-me no sofá e, com um sorriso nos lábios, apreciei a vibração crescente e excitante que preenchia o meu interior quente e húmido. Desligaste. Como assim? Abri os olhos, indignada. Com um sorriso sarcástico disseste: “Vamos jantar minha querida!” Eu sabia o que estavas a fazer… adoras provocar-me desta maneira. Costumas dizer que gostas de aquecer o meu motor lentamente, mas muito sinceramente, eu já estava a ferver.

 

 

Durante o jantar, por diversas vezes fui surpreendida com a vibração dentro de mim. Querias brincar, mas eu não estava a aguentar, eu queria mais. Levantei-me, aproximei-me de ti e, de pernas abertas alcancei o cordel do ovo, retirei-o suavemente, levei-o à minha boca e lambi-o. Coloquei-o na mesa, queria voltar a usá-lo mais tarde. Se já estavas excitado, este meu gesto deixou-te à beira da loucura. Sentei-me ao teu colo, rocei-me no teu sexo e perguntei com um ar sedutor: “Posso foder-te já ou preferes continuar a jantar?”. Não respondeste. Agarraste-me no rabo, puxando-me para ti e beijámo-nos apaixonadamente. A excitação era já enorme. O ovo tinha-me deixado ansiosa por um orgasmo. Desapertei-te as calças com rapidez ao mesmo tempo que baixavas as alças do meu vestido e do soutien. No exato momento em que me encaixei no teu pau, escorregando devagarinho, senti os teus lábios a sugarem os meus mamilos. 

Iniciei os movimentos de sobe e desce. As nossas respirações tornaram-se audíveis, tal como os nossos gemidos que denunciavam o prazer que por ali se sentia. As tuas mãos agarravam-me nas nádegas e ajudaste-me a aumentar a velocidade. Alcancei de novo o ovo, encostei-o ao clitóris e pedi para pores na vibração máxima. Diminui a velocidade da cavalgada enquanto aumentavas a vibração do brinquedo. O teu pau preenchia-me e o brinquedo novo fazia-me estremecer. Que orgasmo gigante. Que prazer enorme. Os meus gemidos transformaram-se em gritos de prazer e todo o meu corpo entrou em êxtase…

 

 

Observavas-me com tesão e com vontade de te vires também… Ainda eu estava a retomar a respiração quando me viraste de costas para ti, debruçada sobre a mesa, e me penetraste com uma força bruta, exatamente como eu gosto, exatamente como tu gostas. E em mais três ou quatro penetrações atingiste um orgasmo daqueles... Não é preciso perguntar se foi bom, ambos sabemos que o sexo entre nós é sempre espetacular. E com “amigos eletrónicos” pelo meio a espetacularidade é incrementada…Enquanto bebíamos o café surpreendeste-me com uma caixinha: “Abre, minha querida. Era para usarmos hoje, mas a surpresa do ovo, superou tudo. Espero que gostes e que te preencha de alguma maneira…” Desatei a rir quando vi o brilho reluzente do metal prateado do meu novo plug anal… Como ainda era cedo, resolvemos experimentá-lo após o café, afinal a noite de São Valentim é só uma vez por ano!

Subscreva a nossa newsletter e fique a par das histórias mais quentes!

 
 

Prepare a sua caixinha de surpresas: 

 

Cinto de Ligas  

 

 

Ovo Vibratório 

 

 

Plug Anal Pequeno  

 

 

Comentários

Seja o primeiro a avaliar

Adicionar comentário